Seguidores

Google+ Followers

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

A PAZ DE JESUS E O AMOR DE MARIA, ABENÇOADA SEMANA A TODOS.

HOJE , DIA DE NOSSA SENHORA DAS DORES.
QUE ELA INTERCEDA POR CADA UM  DE NÓS A JESUS SEU FILHO , NOSSO SALVADOR.

UM POUCO SOBRE NOSSA SENHORA DAS DORES.



Nossa Senhora das Dores

                     Comemoração  litúrgica - 15 de setembro.   

Acompanhar Nossa Senhora em todas as  fases de sua vida terrestre, admirar os altos desígnios de Deus na pessoa sacrossanta de sua Mãe é sempre delícia para um coração devoto à SS. Virgem. Mais apropriada não podia ser a nossa meditação das dores, senão ocupando-nos com os sete dolorosos lances de sua existência terrena, ou propriamente “as sete dores”, a saber:

1.º - A profecia de Simeão.  “Eis aqui está posto este Menino para ruína e para ressurreição de muitos de Israel, e como alvo a que atirará a contradição. E uma espada traspassará tua alma”. (Lc. 2,34)  A esta palavra a SS. Virgem vê de uma maneira clara e distinta no futuro as  contradições a que Jesus Cristo será exposto:  contradições na doutrina, contradições no conceito público, contradições nos seus santíssimo afetos, na alma e no corpo.   E esta previsão dolorosa ficou na alma de Maria  durante trinta e três anos. À medida que Jesus crescia em idade, em sabedoria e em graça, no Coração de Maria aumentava a angústia de perder um filho tão caro, pela aproximação da inexorável Paixão e Morte.   “O Senhor usa de compaixão para conosco, em não nos fazer ver as cruzes que nos esperavam, e se temos de sofrer,  é só uma vez. Com Maria Santíssima assim não procedeu, porque a queria Rainha das dores e toda semelhante ao Filho;  por isso ela via sempre diante de  si todas as  pelas que havia de sofrer” (Santo Afonso)

2.º - A fuga para o Egito.  A profecia de Simeão começou a cumprir-se logo. Jesus apenas nascido, já é cercado pela morte. Para salvá-lo, Maria deve ir para um exílio longínquo, para o Egito, por caminhos desconhecidos, cheios de perigos. No Egito a Sagrada Família passou perto sete longos anos como estranha, desconhecida, sem recursos, sem parentes.  “A viagem de volta para a Terra Santa apresentou-se mais penosa ainda, porque o Menino Jesus já era tão crescido que, levá-lo ao colo, difícil tarefa devia ser, e fazer a pé o grande trajeto parecia acima de suas forças” (São Boaventura)

3.º - Jesus encontrado no templo.  “Há quem diga que toda esta dor não só foi maior de todas que Maria sofreu na sua vida, mas que foi também de todas a mais acerba”.  Nos outros seus sofrimentos tinha ela Jesus em sua companhia; mas agora via-se longe dele, sem saber onde ele se achava.  Das outras dores Maria conhecia perfeitamente a razão e o fim, isto é, a redenção do mundo, a vontade divina; mas nesta dor não podia ela atinar com o motivo de Jesus estar longe de sua Mãe. Quem sabe se sua mente não se torturava com pensamentos como este:  não o servi como devia, cometi alguma falta, alguma negligência, que motivasse dele se  retirar de mim?  Certo é que não pode haver pena maior para uma alma que tem amor a Deus, senão o temor de o ter desgostado. Realmente, em nenhuma outra dor, que nós saibamos, Maria se lamentou, queixando-se  amorosamente com Jesus, depois de o ter achado: “Filho, porque fizeste assim conosco? Olha que teu pai e eu te buscávamos aflitos” (Santo Afonso)

4.º - Maria se encontra com Jesus na via dolorosa.  Pilatos tinha sentimento humano para com Jesus;  tivesse ele  vencido sua covardia,  talvez o teria salvo do furor da multidão, ainda mais, se à súplica de  sua mulher se tivesse unido um pedido da Mãe de Jesus. Maria, porém,  não se move naquela  hora tremenda, que decide  da  vida ou da morte de seu Filho, porque sabe, que o Filho podia por si, sem auxílio alheio, livrar-se dos seus inimigos, e se se deixa como um cordeiro levar ao suplício, então é porque o faz espontaneamente, cumprindo a vontade de Deus. Maria ainda não se move, quando a sentença já é irrevogavelmente pronunciada. Vai ao encontro de Jesus que,  carregado do peso da cruz, se encaminha para o Calvário.   Vê-o todo desfigurado e entregue, coberto de mil feridas e horrivelmente ensangüentado. Seus olhares se  cruzam.  Nenhuma queixa sai da sua boca, porque as maiores dores  Deus lhe reservou para a salvação do mundo. Aquelas  duas almas, heroicamente generosas, continuam juntas no seu caminho do sofrimento, até o lugar do suplício. 

5.º - Jesus morre na cruz.  Chegam ao Calvário. Os algozes despojam Jesus das suas vestes, pregam-no na cruz, levantam o madeiro e  sobre ele deixam-no morrer. Maria agora se aproxima da cruz e perto da cruz fica, e assiste à horrível agonia de três horas.  “Que espetáculo ver-se o Filho agonizante sobre a cruz, e ver-se ao pé da mesma agonizar a Mãe, que todas as penas sofria com seu Filho!  (Santo Afonso).  “O que os cravos eram para o corpo de Jesus, para o coração de Maria era o amor” (São Bernardo).    “No mesmo tempo que Jesus sacrificava o corpo, a Mãe imolava a alma” (São Bernardo).   E não pode  dar ao Filho o menor alívio; ainda saber que o maior tormento para o Filho era ver present5e sua Mãe, que dor, que sofrimento! O único alívio para a Mãe e  para o filho era saber, que das suas dores resultava para nós a  vida eterna.

6.º - Abertura do coração de Jesus pela lança e descimento da cruz. Jesus morrendo, exclamou: “Consummatum est” – Tudo está consumado. Estava  completa a série dos sofrimentos para o Filho, não porém, para a Mãe.  Quando ela está chorando a morte do filho, um soldado vibra a lança contra o peito de Jesus, abrindo-o, e sai sangue e água. O corpo morto de Jesus não sente mais a lançada;  mas sentiu-a a Mãe no íntimo do coração. Tiram o corpo do Filho da cruz. O Filho é entregue  à Mãe, mas em que estado!  Antes o mais belo entre os filhos dos homens, agora está todo desfigurado. Antes, era um prazer olhar para ele;  agora,  seu aspecto é horroroso. Quando morre  um filho, trata-se de afastar do cadáver a mãe. Maria, pelo contrário,  não deixa que lho tirem dos seus braços, senão quando é para sepultá-lo. 

7.º - Jesus é colocado no sepulcro.  “Eis que já o levam para sepultá-lo. Já se põe em movimento o doloroso préstito. Os discípulos levam o corpo de Jesus  sobre os ombros. Os Anjos do céu o acompanham. As santas mulheres seguem e, no meio delas, a Mãe. Querem que ela mesma acomode o corpo sacrossanto de Jesus no sepulcro, precisando por a pedra  para fechar o sepulcro, os discípulos precisam dirigir-se à SS. Virgem, e lhe dizer: “Agora é hora de vos despedir, Senhora;  deixai que fechemos o sepulcro. Muni-vos de paciência! Olhai-o pela última vez e despedi-vos de vosso filho”. Moveram a pedra e colocaram-na no seu lugar, fechando com ela o santo sepulcro.  Maria, dando um último adeus ao Filho e à sepultura, volta para casa” (Santo Afonso).   “Voltou tão triste a aflita e pobre Mãe, que todos a viam, dela se compadeciam e choravam” (São Bernardo)  Só no nosso coração não haverá lágrimas para Maria?  Não choramos nós, que somos a causa de tantas dores?  Ah! Se nos faltam lágrimas de  sentimento dos nossos olhos sensíveis, choremos pelo menos lágrimas de penitência, expressão ainda do firme propósito, de não mais cometermos pecado algum. Foram os nossos pecados que levaram à morte o nosso Irmão primogênito, e transpassaram o coração dulcíssimo de Maria, Mãe de Jesus e  nossa Mãe.

REFLEXÕES

Se a nós Deus mandar uma cruz em forma sofrimentos físicos ou morais, acusações injustas ou de contínuas contrariedades, recorramos à Nossa Senhora, e não nos entreguemos à tristeza e ao desânimo. Sofrimento que vem mandado por um Pai que nos tem tanto amor, não pode visar outro fim, senão o nosso bem temporal e eterno. O sofrimento um dia, converter-se-á em  alegria;  as lágrimas derramadas hoje, darão lugar a uma felicidade que não terá fim.  Uma cruz é diferente da outra e a duração de tempo do nosso padecimento pertence a Deus. São momentos tristes, mas que devemos aceitar alegremente,  como uma graça divina. Afinal, lembremo-nos de quanto sofrimento Cristo padeceu no Calvário!  E quanto sofreu a Mãe, diante da agonia do Filho!

Se teu ombro já parece não suportar o peso da cruz, se a extrema dor te abala os sentidos, não desperdice esse tempo com lamentações, muitas vezes inevitáveis .  Oferece essas dádivas às almas que padecem no Purgatório,  em desagravo dos pecados cometidos contra o Santíssimo Coração de Jesus e Imaculado Coração de Maria, pela conversão de todos nós, pobres pecadores, pela paz no mundo, pelo Papa, ou por tantas outras causas urgentes que clamam por nossas orações e sacrifícios.

Por enquanto,  coloquemo-nos confiantemente no colo amoroso de Nossa Senhora das Dores, que experimentou o sofrimento na sua máxima intensidade.   

http://www.paginaoriente.com/titulos/nsdores1509.htm



sábado, 7 de junho de 2014

ALMA DE DEUS




LIVRO : "ALMA GLORIOSA DE MARIA"

ORAÇÕES:

 V. Ó Deus, vinde em meu auxílio. 
R. Ó Senhor, apressa-te em ajudar-me. 
V. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. 
R. Como era no princípio, é agora, e sempre .  Amen.

  Invocação ao Divino Espírito Santo
Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis, e acendei neles o fogo de vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra. 

Oremos: Ó Deus que iluminais os corações dos vossos fiéis com as luzes do Espírito Santo, concedei-nos que no mesmo Espírito saibamos o que é reto, e gozemos sempre de suas consolações. Por nosso Senhor Jesus Cristo, na unidade do Espírito Santo. Amém                            

Oferecimento
Maria Santíssima, nossa Rainha, nossa Mãe e nosso tudo, eis-nos prostrados, humildemente, aos vossos pés, em união com os anjos e santos do céu e com os justos da terra, para vos consagrar todos os dias deste mês, especialmente o dia de hoje.
Nós vos oferecemos, como se só a nós pertencessem, as flores, as virtudes, as orações, os sacrifícios e demais exercícios de piedade, que, por toda a terra, vos são oferecidos pelas almas que vos veneram. Oferecemo-vos os cânticos e louvores que no céu e na terra se entoam, neste mês, em vossa honra. Mas é principalmente o amor das criaturas que vos amam, que nós vos oferecemos, como se saísse só do nosso coração. Também nos entregamos, inteiramente, a vós: os nossos sentidos, o nosso corpo, a nossa memória, a nossa inteligência, a nossa vontade, o nosso coração. Aceitai, ó Mãe querida, a oblação de vossos filhos.
Em troca, vos pedimos que nos alcanceis humildade, pureza e concentração, para que, contemplando, por instantes, a vossa alma gloriosa, a nossa alma se torne semelhante à vossa. Fazei que compreendamos e vivamos esta verdade: que toda a nossa glória deve vir, como a vossa, da nossa alma, purificada e unida a Deus N. S. — Anjos e Santos, ajudai-nos a nos transformar, por Maria, em Jesus Cristo. Assim seja.

 

Segue-se a leitura do dia do livro 
"A Alma Gloriosa de Maria"
Capítulo I

ALMA DE DEUS

É o seu título mais glorioso!
Depois da humanidade santíssima de Jesus Cristo, nada de mais belo, nem de mais perfeito saiu das mãos criadoras de Deus, do que a alma gloriosa de Maria.
É a sua magnífica obra prima, na qual se revê toda a adorável Trindade.

Se todas as almas, como todas as coisas, são de Deus, sendo por Ele criadas, nenhuma o é, como a alma santíssima de Nossa Senhora. Que é de Deus de um modo todo especial. Pois habitava, desde toda a eternidade, na ideia de Deus, vivia no coração de Deus, em vista de sua predestinação. Por isso a Santa Igreja põe nos lábios de Maria Imaculada, as profundas palavras da Sabedoria: “O Senhor me possuiu no princípio de seus caminhos... antes que criasse coisa alguma... Ainda não havia abismos e eu estava já concebida; ainda as fontes das águas não tinham arrebentado, ainda se não tinham assentado os montes sobre a sua pesada massa, antes de haver outeiros, era eu dada à luz... Quando Ele preparava os céus, eu me achava presente... quando sustentava pendentes os fundamentos da terra, estava eu com Ele regulando todas as coisas, e cada dia me deleitava, brincando, em todo o tempo, diante Dele, brincando na redondeza da terra...” (Pv 8). Eis a eternidade da alma gloriosa de Maria na mente divina!
Que de mais belo se poderá dizer? Objeto de predileção do divino amor: brincando todo o tempo diante Dele, na linguagem deliciosa da Escritura. Por isso a ela diz o Senhor, de modo especial: Eu te amei, com um amor eterno! (Jr 31, 3). Quem poderá conceber a beleza desta alma ao sair da mente do Criador, que a ideara, engrandecera, ornara desde o princípio! Era realmente uma alma, por excelência, de Deus!
E Dele, o pecado original não a separou, nem sequer por um instante. E, muito menos, pecado pessoal algum. Pelo contrário, crescendo, de momento em momento, a graça santificante na alma de Maria, crescia, de momento em momento, também, a sua dependência beatifica de Deus. Estava sempre com Ele. O que fez exclamar o Arcanjo S. Gabriel, extasiado: Salve, ó Maria! O Senhor está convosco! (Lc 1, 28).
E foi sempre assim durante toda a sua vida. Por isso pôde ela revelar a Santa Brígida, que nunca teve no mundo outro pensamento, outro desejo, outra alegria, senão Deus. Santo Afonso de Ligório, escreveu, comentando esta verdade: “Sua alma bendita estava sempre ocupada em contemplar a Deus”. E São Pedro Damião: “Semelhante à águia real, conservava sempre os olhos fixos no Sol divino”. E a Ven. Maria de Sales Chappuis: “A alma da Virgem se ocupava com bem poucas coisas; uma só a movia: agradar a Deus N. S”. — Oh! Alma de Deus! É o seu título mais glorioso! Por isso os Santos a imitaram. S. Francisco de Assis, que exclamava: “Meu Deus e meu tudo”. Sto. Inácio de Loyola: “Recebei, Senhor, a minha memória, entendimento e vontade; só quero o vosso amor”. E Santa Teresa: “Só Deus me basta!”
A nossa alma foi, também, criada por Deus e para Deus, que, com um amor eterno, a amou também. Entretanto, como vivemos nós afastados Dele... pelo pecado, pela ingratidão, pelo esquecimento... Entregamos, continuamente, às paixões, ao mundo, ao demônio, esta alma que devera ser só de seu Criador. Destruímos, assim, desgraçadamente, o fundamento da santidade e da felicidade, que é a nossa dependência voluntária de nosso Deus e Senhor.
Ó Maria — alma de Deus — alcançai-nos a graça de, em nossos pensamentos, palavras e obras, termos sempre em vista a Deus, nossa Origem e nosso Fim, e de vivermos, deste modo, inteiramente Nele e para Ele. Assim seja!


Ladainha de Nossa Senhora

Senhor, tende pidedade de nós
Cristo, tende pidedade de nós
Senhor, tende pidedade de nós
Cristo, ouvi-nos
Cristo, atendei-nos
Deus Pai do céu, tende piedade de nós
Deus Filho Redentor do mundo, tende piedade de nós
Deus Espírito Santo, tende piedade de nós
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós

Santa Maria, rogai por nós.
Santa Mãe de Deus, 
Santa Virgem das virgens, 
Mãe de Cristo,
Mãe da Igreja
Mãe da divina graça, 
Mãe puríssima, 
Mãe castíssima, 
Mãe sempre virgem,
Mãe imaculada, 
Mãe digna de amor, 
Mãe admirável, 
Mãe do bom conselho, 
Mãe do Criador, 
Mãe do Salvador, 
Virgem prudentíssima,
Virgem venerável,
Virgem louvável, 
Virgem poderosa, 
Virgem clemente, 
Virgem fiel,
Espelho de perfeição, 
Sede da Sabedoria, 
Fonte de nossa alegria, 
Vaso espiritual, 
Tabernáculo da eterna glória,
Moradia consagrada a Deus, 
Rosa mística, 
Torre de Davi, 
Torre de marfim,
Casa de ouro,
Arca da aliança,
Porta do céu,
Estrela da manhã,
Saúde dos enfermos,
Refúgio dos pecadores, 
Consoladora dos aflitos,
Auxílio dos cristãos,
Rainha dos Anjos, 
Rainha dos Patriarcas,
Rainha dos Profetas,
Rainha dos Apóstolos,
Rainha dos Mártires,
Rainha dos confessores da fé,
Rainha das Virgens,
Rainha de todos os Santos,
Rainha concebida sem pecado original,
Rainha assunta ao céu,
Rainha do santo Rosário,
Rainha da paz.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos, Senhor.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos, Senhor.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós.

Rogai por nós, santa Mãe de Deus.

Para que sejamos dignos das promessas de Cristo


 O “Lembrai-vos” de S. Bernardo

Lembrai-os, ó piissima Virgem Maria, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que têm recorrido à vossa proteção, implorado a vossa assistência e reclamado o vosso socorro, fosse por vós desamparado. Animado eu, pois, com igual confiança, a vós, ó Virgem entre todas singular, como a Mãe recorro, de vós me valho, e gemendo sob o peso de meus pecados, me prostro a vossos pés. Não desprezeis as minhas suplicas, ó Mãe do Filho de Deus humanado, mas dignai-vos de as ouvir propícia e de me alcançar o que vos rogo. Amen.

Do Livro: A Alma Gloriosa de Maria - Frei Henrique G. Trindade, O.F.M. - 1937 - segunda edição


terça-feira, 27 de maio de 2014

30 DIAS COM MARIA - O ÓDIO

12° DIA
O ÓDIO


S. Inácio de Loyola recebeu um bilhete com tal mensagem: "Eu vos odeio tanto que gostaria de vos queimar!" Prontamente respondeu: "Eu também gostaria de vos queimar, só que do Amor Divino". Eis o ódio e o amor. Se opõe diretamente. O ódio é contrário ao amor. Odiar é querer mal. Quem odeia uma pessoa quer-lhe mal. Pode-se odiar a Deus e ao próximo. Existem dois tipos de ódio: Inimizade e Repelimento: Inimizade é quando se odeia um inimigo ou quem nos faz mal ou pode fazer mal. Repelimento é quando se odeia o mal (a desonestidade, crueldade) que se vê em uma pessoa. Este ódio é um ato bom.

O ódio assassino



O ódio da inimizade, na sua raiz, é homicida. Realmente é verdade. Muitos cristãos têm horror só em ouvir o 5º mandamento: não matar! O confessor que lhes perguntasse se mataram alguém, ouviria responder-se um não brusco e repetido. Mas quase todos os cristãos pensam que se possa matar um homem apenas enfiando um punhal nas costas ou atirando-lhe uma bala no coração. Não pensam que o 1º é aquele que se comete no coração com ódio, pois ele tende à destruição do outro, podendo chegar à violência externa. Jesus disse expressamente em Mateus 15,19: "É do coração que vem os homicídios". O ódio por uma pessoa é um homicídio, assim como um desejo imundo de um cônjuge já consiste em um adultério consumado no coração (cf. Mt 5,28). O que dizer dos homicídios legalizados com lei do aborto? As crianças menores e indefesas são atingidas de traição no seio materno, sem Batismo, privados do Paraíso, destinados ao Limbo eterno. Que corrente de desgraças opera a mão homicida. Nem o menor ódio contra a vida e contra Deus (cf. Mc 12,27) há no coração de quem recorre aos anticoncepcionais que cometem os homícidios antecipados. Quem pode medir todo ódio assassino espalhado e operante no mundo com os abortos e anticoncepcionais? Se Raquel chorava sobre o seu povo pelos filhos que não mais o eram (cf. Gn 31,15) qual não será a dor de Maria de frente ao ódio homicida que reina em toda a Terra?

Amar somente


Se o amor é a perfeição do homem, o ódio é a perversão! Portanto os cristãos não podem odiar nenhum homem, porque "quem diz amar a Deus e odiar seu irmão é mentiroso!" (I Jo 4,20) E quando "estás apresentando a Deus a tua oferta ao Altar e lá te lembrares que um irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá tua oferta e vai reconciliar-te com teu irmão pra depois apresentá-la ao Senhor" (Mt 5,23-24). Os cristãos não podem nem odiar seus inimigos. Devem amá-los, sofrendo: "Amais os vossos inimigos e fazei o bem àqueles que vos maldizem; rezai pelos vossos caluniadores e àquele que te bater a face, oferece a outra!". (Lc 6,27-29). Inútil dizer que este amor aos inimigos é a coisa maior, como dizia S. Agostinho, um heroísmo sem par. Certamente ele não corresponde às nossas tendências naturais. Os antigos diziam: olho por olho, dente por dente (cf. Ex 21,24). Era a lei do talião, férrea e inexorável. Mas Jesus interveio e limpou tudo. "Vós sabeis o que foi dito: amarás o teu próximo e odiarás teu inimigo. Mas Eu vou digo: Amas teu próximo e teu inimigo!" (Mt 5, 43-48).

O perdão Cristão



Infelizmente nós somos fáceis em recitar com os lábios o Pai-Nosso: "perdoai as nossas dívidas assim como nós perdoamos os nossos devedores" (Mt ,12). Mas com o coração não perdoamos muitas vezes. Não falamos mais, não queremos mais relações com aquela pessoa... Coisas frequentes entre nós, cristãos. S. José Cafasso queria convencer um encarcerado a depor todo ódio contra os inimigos. Convenceu-o a rezar o Pai-Nosso pelo ofensor. Quando chegou no momento de pedir e dar perdão (que a oração fala), o Santo interrompia e lhe perguntava se as tinha dito verdadeiramente. Se a resposta era afirmativa, alegrava-se com o encarcerado pela generosidade de perdoar. Sendo negativa, o Santo afirmava que precisava muita coragem para pedir a Deus de ser duro com ele como ele agia com os outros. Assim nos serve! Inútil apelar, pois seremos perdoados à medida que perdoarmos (cf. Lc 6,37-38). Depende somente de nós para obtermos de Deus perdão total.

Pretextos e desculpas



Parece incrível o fato de acharmos desculpas para não perdoar, embora sabendo que Deus está sempre pronto a nos estender seu perdão e que Maria nos ama constantemente, apesar de nossa maldade inesgotável. Um bom pregador, S. Jerônimo, recolheu as desculpas vãs que mais facilmente se acham em não perdoar. Ei-las:
            - Eu não consigo vencer a repugnância que provo ao perdoar tal pessoa.
            - Mentira! Deus não nos pede impossíveis!
            - Mas me fez tanto mal... Não podemos perdoar só aos que nos fazem bem? Arruinou-me, tentou destruir a minha fortuna...
            - Que seja. Mas credes que alimentando no coração tanto ódio, ganhareis alguma coisa? Para vos consolar dos males recebidos, juntais outro gravíssimo, já que Jesus claramente disse que quem não perdoa não será perdoado.
            - Mas o que dirá a gente?
            - Dirá que sois cristão!
            - Mas e a minha honra?
            - A honra maior para um cristão é de comportar-se como filho de Deus, infinitamente misericordioso.
            - Mas aquela pessoa não merece meu perdão.
            - Pode ser. Mas o vosso perdão o mereceu Jesus Cristo!
            - Sim, mas ele aproveitará do meu perdão pra ficar pior.
            - Que seja! Vós ficarás melhor!

Bem por mal



Não só precisamos perdoar, mas precisamos pagar o mal com o bem. "Não te deixes vencer pelo mal, mas vences o mal com o bem" (Rm 12,21) Assim faz Deus, que continua a doar a vida a quem O ofende. Assim faz Maria que continua a amar quem A faz chorar. Os santos nos deixaram exemplos admiráveis de vitória do amor sobre o ódio. Quando o assassino de Maria Goretti se apresentou à mãe da Santa para lhe pedir perdão, ouviu-a responder: "Como não lhe perdoaria se minha Marieta já o fez?" A heróica Virgem e mártir, antes de morrer, perdoou de coração seu assassino, e aparecendo-lhe depois da morte, disse-lhe que o queria consigo no Paraíso. Esta é a "vingança" dos santos. S. Joana Francisca de Chantal perdeu o esposo durante uma caçada. Sofreu terrivelmente, mas perdoou de tal modo que quis ser madrinha do filho do assassino. Que lição para nós que somos capazes de não olharmos mais no rosto de quem nos ofendeu com uma bobagem apenas. S. Maximiliano Maria Kolbe, o louco da Imaculada, no campo do ódio de Auschwitz, exortava os irmãos de martírio a vencer o ódio com o amor, porque, dizia,"Só o amor é criativo". Ele recebia este amor da Imaculada, a "Mãe do belo Amor" (cf. Eclo 24,24).

Votos



- Lê e medita a parábola sobre o servo ruim (Mt 18,21-35)
- Oferece o dia por todos aqueles que provocam abortos ou usam anticoncepcionais.
- Recita um Rosário por teu inimigo.
http://alexandriacatolica.blogspot.com.br/p/mes-de-maria.html

PERDOE E ENCHA SEU CORAÇÃO DE AMOR.


sábado, 17 de maio de 2014

O INFERNO



6° DIA

O INFERNO

Quando perguntaram a São Jerônimo porque se retirou para uma gruta de Belém e viver como um eremita penitente, ele respondeu: "Me condenei a esta prisão porque temo o inferno!" Um gigante de doutrina e santidade como ele temia o inferno. Nós, sem doutrina e santidade, nem nos preocupamos, nem queremos pensar no Inferno! E assim demonstramos o que somos: pobres inconscientes! São Paulo, raptado ao 3º Céu, carregado de méritos, temia de poder danar-se (cf I Cor 9,27). Nós, com uma superficiliadade que amedronta, cremos evitar o inferno sem méritos nem temores. Aliás, chegamos até a recomendar de não se falar nunca do Inferno, porque "impressiona", não nos importando o fato que Jesus, no Evangelho, falou do Inferno não só uma vez, mas 18 vezes! Como sempre, covardes que somos, gostamos muito de discursos alegres e doces, de Cristianismo fácil, efeitos de falsos aleluias e hosanas.



Fora daqui, malditos!

Esta é a terrificante condenação dos que morrem em pecado mortal. "Estes irão ao eterno suplício" (Mt25,46). "Irão", ou seja, só vai ao inferno quem quiser ir! Deus nos cria a todos para o Paraíso e nos dá os meios para lá chegar, mas nos deixa livres para aceitar ou não. O homem que recusa, então, sabe perder o Paraíso e escolher o Inferno. Ele quer isso livremente. Nem se pode não dar razão a Deus, porque respeita a liberdade do homem. Mas qual loucura renunciar a Deus, perder o Paraíso, cair naquele abismo de horrores que é a moradia dos demônios. A visão de Deus, a união a Jesus e a Nossa Senhora, a companhia dos Anjos e dos Santos... A perda destes bens infinitos constitui a pena de dano dos danados, ou seja, a pena mais horrível e pavorosa que possamos conceber. Pelo resto, se é verdade que com o pecado mortal crucificamos Jesus em seu próprio coração (Hb ,) de qual suplício "não será digno aquele que terá pisado o Filho de Deus"? (Hb 10,20).



No fogo eterno

No Inferno existe também a pena do sentido, ou seja, o fogo eterno (Mt 18,7) "que põe aos danados como vítimas dos tormentos... de um fogo ardente" (Lc 16, 23/24). A Geena é a figura mais expressiva que Jesus usou para figurar o inferno. A Geena é um profundo vale sobre um dos lados de Jerusalém. Nessa se jogavam toda as sujeiras da cidade e eram queimadas em um fogo perene. O Inferno é um depósito de lixo do Céu e da Terra: nesse se recolhem todos os anjos rebeldes e todos os homens imundos, perversos e corrompidos, mortos em pecado mortal. Todos queimarão com "fogo inextinguível" (Mc 9,44), odiosos a Deus pela eternidade. Na verdade, é "coisa tremenda cair nas mãos de Deus". (Hb 10,31). Mas não se poderá talvez dizer que seja proporcional a pena eterna para as culpas do homem? Não, porque como a recompensa está ao mérito, assim a pena está à culpa (Santo Tomás de Aquino). Às boas ações corresponde o Paraíso eterno; às más ações (pecados mortais) correspondem o Inferno eterno. O rico homem que durante a vida tinha pensado somente nos "suntuosos banquetes", nos quais pensava só em se divertir, e o pobre Lázaro, que tinha suportado em paz as próprias desventuras, deixando que até os cachorros lhe "lambêssem as feridas", nos fazem compreender muito bem a diversa sorte eterna que tocará aos homens maus e bons (Lc 16,19-31).

Muitos se perdem

Em Fátima, a Imaculada mostrou o Inferno aos 3 pastores. E Lúcia descreveu aquela visão como melhor podia com estas palavras: "Vimos como em um mar de fogo, emergidos os demônios e as almas, quase como carvões transparentes e pretos, queimados em forma humana, flutuando no incêndio alçado de fumos e cadentes de cada lado, como faísca de grandes incêndios. Sem peso, nem equilíbrio, entre gritos e gemidos de dor e desespero que aterrorizavam e faziam desmaiar de medo...". "Viram - disse Nossa Senhora - o Inferno onde vão as almas dos pobres pecadores? Para os salvar, o Senhor quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Coração Imaculado". Reflitamos seriamente sobre estas palavras de Nossa Senhora e liguemo-nos fortemente ao seu Coração Imaculado e tenhamos bem radicados em nós o empenho de viver sempre na graça de Deus, prontos em tudo sofrer para não cometer pecado mortal: "Não temais os que matam o corpo, mas que não podem matar a alma. Temais, pois, aquele que pode fazer perder a alma e o corpo na Geena." (Mt 10,28). Se os homens pensassem seriamente nestas palavras de Jesus, quem seria condenado?


Como morre um danado?

São Clemente Hofbauer, apóstolo de Viena, foi visitar um moribundo não crente e foi recebido com insultos: "Vai para o diabo, frade! Vais embora!". "Antes quero ver como morre um danado!" disse o frade. Com estas palavras o moribundo pôs-se a pensar e ficou mudo. São Clemente invoca Maria com ardor. Logo depois o moribundo chora e exclama: "Padre, perdoai-me. Aproximai-vos!". Confessa-se em lágrimas e morre invocando Maria, refúgio dos pecadores. "A misericórdia de Maria salva um grande número de infelizes que, segundo as leis da divina Justiça, iriam ser danados". Cofiemos n'Ela, então, com toda a confiança.

Votos

Repetir amiúde: "Minha mãe, confiança minha";
Oferecer o dia pelos pecadores moribundos;
Ler e meditar a parábola do rico Epulão e do pobre Lázaro (Lc 16, 19-31).
http://alexandriacatolica.blogspot.com.br/p/mes-de-maria.html


(Lc 16, 19-31).
19. Havia um homem rico que se vestia de púrpura e linho finíssimo, e que todos os dias se banqueteava e se regalava.
20. Havia também um mendigo, por nome Lázaro, todo coberto de chagas, que estava deitado à porta do rico.
21. Ele avidamente desejava matar a fome com as migalhas que caíam da mesa do rico... Até os cães iam lamber-lhe as chagas.
22. Ora, aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado.
23. E estando ele nos tormentos do inferno, levantou os olhos e viu, ao longe, Abraão e Lázaro no seu seio.
24. Gritou, então: - Pai Abraão, compadece-te de mim e manda Lázaro que molhe em água a ponta de seu dedo, a fim de me refrescar a língua, pois sou cruelmente atormentado nestas chamas.
25. Abraão, porém, replicou: - Filho, lembra-te de que recebeste teus bens em vida, mas Lázaro, males; por isso ele agora aqui é consolado, mas tu estás em tormento.
26. Além de tudo, há entre nós e vós um grande abismo, de maneira que, os que querem passar daqui para vós, não o podem, nem os de lá passar para cá.
27. O rico disse: - Rogo-te então, pai, que mandes Lázaro à casa de meu pai, pois tenho cinco irmãos,
28. para lhes testemunhar, que não aconteça virem também eles parar neste lugar de tormentos.
29. Abraão respondeu: - Eles lá têm Moisés e os profetas; ouçam-nos!
30. O rico replicou: - Não, pai Abraão; mas se for a eles algum dos mortos, arrepender-se-ão.
31. Abraão respondeu-lhe: - Se não ouvirem a Moisés e aos profetas, tampouco se deixarão convencer, ainda que ressuscite algum dos mortos.


COMO REZAR O ROSÁRIO DE NOSSA SENHORA DA SALETTE 

O rosário se compõe de 3 partes chamadas terços e cada parte tem 5 mistérios, isto é, 5 pontos importantes na vida de Jesus Cristo e sua Mãe: 

Na primeira parte meditamos os momentos da alegria de Jesus e de sua Mãe, na segunda parte refletimos sobre os sofrimentos e na terceira contemplamos a glória.

Começa-se o terço com o Sinal da Cruz, o Creio, um Pai-Nosso e três Ave-Marias, em honra e desagravo à Santíssima Trindade.

O Sinal da Cruz:

Pelo Sinal da Santa Cruz + Livrai-nos Deus, nosso Senhor + dos nossos inimigos + Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. 

Invocação do Espírito Santo: 

Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e ascendei neles o fogo do vosso Amor.
Enviai o vosso Espírito e tudo será criado.
Oremos: Ó Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a Luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de sua consolação. Por Cristo Senhor nosso. Amém.

Oferecimento: Divino Jesus, nós vos oferecemos, este Rosário que vamos rezar, meditando os mistérios de nossa redenção. Concedei-nos, por intercessão da Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, as virtudes que nos são necessárias para bem rezá-lo e a graça de ganharmos as indulgências desta Santa devoção. Oferecemos, particularmente, em desagravo dos pecados cometidos contra o Santíssimo Coração de Jesus e Imaculado Coração de Maria. Pela paz no mundo, pela conversão dos pecadores, pelas almas do purgatório, pelas intenções do Santo Padre, pelo aumento e santificação do Clero, pelo nosso Pároco, pela santificação das Famílias, pelas Missões, pelos doentes, pelos agonizantes, por aqueles que pediram nossas orações, por todas as nossas intenções.

O CREIO: Creio em Deus Pai, todo-poderoso, Criador do céu e da terra; e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor; que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Poncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu a mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde ha. de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.

Homenagem à Ssm. Trindade: Um Pai Nosso, três Ave-Marias e um Glória, a primeira Ave-maria em honra a Deus Pai que nos criou (caridade), a Segunda em honra ao Deus Filho que nos remiu (esperança) e a terceira ao Deus Espírito Santo que nos santifica (fé).

O PAI-NOSSO: Pai-Nosso, que estais no céu, santificado seja o vosso Nome, venha a nós o vosso Reino e seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos daí hoje, perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação mas livrai-nos do mal. Amém.

A Ave-Maria: Ave-Maria cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto de vosso ventre, Jesus. Santa Maria, mãe de Deus, rogai por nós os pecadores agora e na hora de nossa morte. Amém.

O Glória: Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, assim como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Jaculatória entre Mistérios: 
O meu bom Jesus, perdoai-nos. Livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas todas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem (da sua misericórdia).
OU
Abençoai o Santo Padre o Papa, o clero, as nossas famílias e dai-nos a Paz.
OU
Nossa Senhora da Salette, reconciliadora dos pecadores.
Rogai sem cessar por nós que recorremos a vós.
OU
Sagrada Família - Rogai Por nós!
Nossa Sra. Aparecida - Rogai por nós!
São Pedro e São Paulo - Rogai por nós!
Sant'Ana e São Joaquim - Rogai por nós!
Santa Terezinha - Rogai Por nós!
São José - Rogai Por nós!
OU
Oh! Cheia de graça, cheia de Luz!
Ave-Maria a Mãe de Jesus!


--------------------------------------------------------------------------------

Mistérios da alegria (gozosos)
(Segundas-feiras e Sábados) 

A característica destes Mistérios é convidar a todos a participar da alegria irradiada sobre o mundo pelos acontecimentos da Encarnaçã.
Nossa Senhora da Salette nos convida a superar o medo e viver com alegria a nossa vocação cristã.



--------------------------------------------------------------------------------

Primeiro Mistério Gozoso 

"Vinde, meus filhos, não tenhais medo, aqui estou para vos contar uma grande novidade."

No primeiro mistério, contemplamos a anunciação do Arcanjo São Gabriel a Nossa Senhora. (Lc 1, 26-38)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E 1 GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Segundo Mistério Gozoso

"Se se converterem, as pedras e rochedos se transformarão em montões de trigo."

No segundo mistério, contemplamos a visita de Nossa Senhora a sua prima Santa Isabel . (Lc 1, 39-56)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E 1 GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Terceiro Mistério Gozoso

"Se quero que meu Filho não vos abandone, sou incumbida de suplicá-lo sem cessar, e, quanto a vós, nem fazeis caso."

No terceiro mistério, contemplamos o nascimento de Jesus na pobre gruta de Belém. (Lc 2, 1-21)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E l GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Quarto Mistério Gozoso

"Os carroceiros não sabem jurar sem usar o nome de meu Filho."

No quarto mistério, contemplamos a Apresentação do menino Jesus no templo, e Simeão louva a Deus. (Lc 2, 22-38)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E l GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Quinto Mistério Gozoso

"Dei-vos seis dias para trabalhar, reservei- me o sétimo, e não mo querem conceder."

No quinto mistério, contemplamos o encontro de Jesus no templo entre os doutores. (Lc 2, 40-50)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E l GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Mistérios da Luz (Luminosos)
(Quintas-feiras) 

Por estes Mistérios entramos cm contato com Jesus em sua vida Pública, que manifesta a presença de Deus, luz para a vida do mundo.
Nossa Senhora da Salette aparece envolta em luz. Luz do Cristo Ressuscitado e nos faz reviver nossas "terras de Coin" onde se manifesta a Providência de Deus.


--------------------------------------------------------------------------------

Primeiro Mistério Luminoso 

"Durante o inverno, quando não sabem o que fazer, vão à missa só para zombar da religião." 


No primeiro mistério, contemplamos o Batismo de Jesus no Rio Jordão, por São João Batista. (Mt 3,13-17)

1 Pai Nosso, 10 Ave-marias e 1 Glória


--------------------------------------------------------------------------------

Segundo Mistério Luminoso

"Não Compreendeis, meus filhos! Vou dizê-lo de outro modo."

No segundo Mistério, contemplamos a revelação de Jesus nas Bodas de Caná. (Jo 2,1-12)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E 1 GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Terceiro Mistério Luminoso

"Nunca vistes trigo estragado, meus filho.

No terceiro Mistério, contemplamos o anúncio do Reino de Deus e o convite à conversão. (Mc 1, 14-15)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E 1 GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Quarto Mistério Luminoso

"Mas tu, meu filho, tu deve tê-lo visto uma vez, perto de Coin, com teu pai... Ele tomou duas ou três espigas de trigo entre as mãos, esfregou-as e tudo caiu em pó..."

No quarto Mistério contemplamos a transfiguração de Jesus no Monte Tabor. (Lc 9,28-36)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E 1 GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Quinto Mistério Luminoso

""...Lembra que teu pai te deu um pedaço de pão dizendo-te:' Toma, meu filho, come pão este ano, pois não sei quem deles comerá no ano próximo, se o trigo continuar assim'...

No quinto Mistério contemplamos a Instituição da Eucaristia na Última Ceia. (Lc 22,14-23)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E 1 GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Mistérios da dor (Dolorosos) 
(Terças e Sextas-feiras) 

Estes Mistérios nos ajudam a contemplar o grande Amor de Deus manifestado através da paixão e morte de Jesus, a maior revelação do amor eterno, misericordioso e fiel de Deus, fonte de nossa Salvação.
Nossa Senhora da Salette aparece em lágrimas e nos convida à conversão a Deus e ao próximo.



--------------------------------------------------------------------------------

Primeiro Mistério Doloroso

"Há quanto tempo sofro por vós!... Se quero que meu Filho não vos abandone, sou incumbida de suplicá-lo sem cessar por vós, e vós nem fazeis caso."

No primeiro mistério, contemplamos a Agonia de Jesus no Horto das Oliveiras. (Lc 22, 39-46)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E l GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Segundo Mistério Doloroso

"Durante o verão, só algumas mulheres mais idosas vão à missa."

No segundo mistério, contemplamos a Flagelação de Jesus Amarrado a uma coluna. ( Mc 15, 1-15)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E l GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Terceiro Mistério Doloroso

"Os outros trabalham no domingo, durante todo o verão."

No terceiro mistério, contemplamos a Coroação de espinhos em Nosso Senhor. (Mt 27, 27-30)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E l GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Quarto Mistério Doloroso

"Durante o inverno...vão à missa só para zombar da religião."

No quarto mistério, contemplamos a Subida dolorosa de Jesus ao Calvário. (Mc 15, 20-23; Lc 23, 26-32)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E l GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Quinto Mistério Doloroso

"...É isto que torna tão pesado o braço de meu Filho."

No quinto mistério, contemplamos a crucifixão e morte de Jesus. (MT 27, 45-50; Jo 19, 18-24)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E l GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Mistérios da glória (Gloriosos)
(Quartas-feiras e domingos) 

Contemplamos nestes Mistérios a Ressurreição e a Ascensão de Jesus e a Glorificação de sua Mãe Santíssima. Por eles, o Cristão redescobre as rezões da própria fé.
Maria em Salette nos lembra da importância e da qualidade de nossa oração e do nosso compromisso missionário.



--------------------------------------------------------------------------------

Primeiro Mistério Glorioso

"Fazeis bem vossa oração, meus filhos"

No primeiro mistério, contemplamos a Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. (Mt 28, 1-15; Jo 24, 1-18).

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E l GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Segundo Mistério Glorioso

"Ah! Meus filhos, é preciso fazê-la bem, à noite e de manhã."

No segundo mistério, contemplamos a Ascensão admirável de Jesus Cristo ao Céu. (Mc 16,19-20; Lc 24,50-53)

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E l GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Terceiro Mistério Glorioso

"Quando puderdes rezar mais, dizei."

No terceiro mistério, contemplamos a Vinda do Espírito Santo sobre a Virgem Santíssima e os apóstolos. (At 2, 1-13) 

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E l GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Quarto Mistério Glorioso

"Por mais que rezeis, por mais que façais, jamais podereis recompensar a aflição que sofro por vós."

No quarto mistério, contemplamos a Gloriosa Assunção de Maria ao Céu.

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E l GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

Quinto Mistério Glorioso

"Pois bem, meus filhos, comunicareis isso a todo o meu povo."

No quinto mistério, contemplamos a coroação de Nossa Senhora como rainha do céu e da terra.

1 PAI-NOSSO, 10 AVE-MARIAS E l GLÓRIA.


--------------------------------------------------------------------------------

AGRADECIMENTOS 

Infinitas graças vos damos, Soberana Rainha, pelos benefícios que todos os dias recebemos de vossas mãos liberais. Dignai-vos agora e para sempre tomar-nos debaixo do vosso poderoso amparo e para mais vos louvar saudamos com uma:

SALVE RAINHA

Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida, doçura, esperança nossa, salve! A vós bradamos, os degredados filhos de Eva; a vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de Lágrimas. Eia, pois, advogada nossa esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos a Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó Clemente, ó Piedosa, ó Doce, sempre Virgem Maria.

V - Rogai por nós, Santa Mãe de Deus,

R - Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.


--------------------------------------------------------------------------------

LADAINHA DE NOSSA SENHORA DA SALETTE 

- Nossa Senhora da Salette, Virgem Mãe de Deus.

TODOS: ROGAI POR NÓS.

- Nossa Senhora da Salette, Mãe de Cristo e Mãe dos homens...
- Nossa Senhora da Salette, Mensageira da Nova Aliança...
- Vós que brilhais com a claridade de Deus
- Vós que apareceis como humilde serva
- Vós que chorais sobre vossos filhos ingratos
- Vós que nos libertais de todo o medo
- Vós que nos recordais a palavra de Deus
- Vós que carregais as correntes de nossas injustiças
- Vós que nos despertais para as nossas responsabilidades
- Vós que nos apresentais o Cristo Crucificado
- Vós que nos engajais na preparação do Reino de Cristo
- Vós que nos precedeis no caminho de nossas cruzes
- Vós que nos conduzis ao Cristo ressuscitado
- Vós que estais ornada de rosas de Glória
- Vós, a "Mulher vestida de sol e de estrelas"
- Nossa Senhora da Salette, Filha do Povo de Deus.
- Mãe do único Senhor, a quem tudo é submetido...
- Virgem ao pé da cruz do Filho Salvador,
- Mulher atenta aos que são abandonados.
- Súplica viva que não pára de interceder por nós
- Amor tão forte que nós jamais podemos recompensar
- Mãe, no meio de nossos trabalhos, nós esquecemos de santificar o dia que Deus reservou para seu louvor.

TODOS: GUIAI-NOS, Ó MARIA, AO DEUS DA VIDA.

- MÃE, nós desprezamos o nome de Jesus, vosso Filho, única pessoa que nos pode salvar...
- MÃE, nós desperdiçamos tantas energias, procurando coisas neste mundo que passa...
- MÃE, nós deixamos as uvas apodrecerem e o pão é dado aos animais, enquanto muitos irmãos nossos morrem de fome.
- MÃE, nós não soubemos ver vosso Filho como nossa esperança dentro de nossos desesperos.
- MÃE, converte nossos corações para que construamos a paz na justiça e no amor.
- MÃE, ensinai-nos a repartir, todos as dias e sempre, o pão da páscoa nova
- MÃE, ensinai-nos a repartir com os famintos o pão da vida que revela o amor de Deus Pai
- MÃE, nós queremos comunicar ao vosso povo a alegria da BOA-NOVA.


Nossa Senhora da Salette, Reconciliadora dos pecadores.
TODOS: ROGAI SEM CESSAI POR NÓS QUE RECORREMOS A VÓS.

OREMOS:
Senhor Jesus Cristo, na hora de vossa morte na cruz quisestes que nos tornássemos convosco, filhos da Virgem Maria: por sua fé inabalável, por sua prece incessante e sua atenção maternal, que ela nos leve a vos seguir até a glória da ressurreição, desde agora e para sempre. Amém.


--------------------------------------------------------------------------------

ORAÇÃO À NOSSA SENHORA DA SALETTE 

LEMBRAI-VOS, Ó Nossa Senhora da Salette, das lágrimas que derramastes por nós, no Calvário. Lembrai-vos também do cuidados que, sem cessar, tendes por vosso povo, a fim de que, em nome de Cristo, se deixe reconciliar com Deus. E vede se, depois de tanto terdes feito por vossos filhos, podeis agora abandoná-los. 

Reconfortados por vossa ternura, ó Mãe, eis-nos aqui, suplicantes, apesar de nossa infidelidade e ingratidão. Não rejeiteis nossa oração, ó Virgem Reconciliadora, mas volvei nosso coração para vosso, Filho.

Alcançai-nos a graça de amar Jesus acima de tudo, e de vos confortar por uma vida de doação, para a glória de Deus e o amor de nossos irmãos. AMÉM.

Nossa Senhora da Salette, Reconciliadora dor pecadores,

R - Rogai sem cessar por nós que recorremos a vós!


--------------------------------------------------------------------------------

ORAÇÃO VOCACIONAL 

Nossa Senhora da Salette, vosso Filho morreu na Cruz para reconciliar o mundo, acabar com as barreiras que nos separam os conflitos que nos destroem.
Ó Virgem Reconciliadora a mensageira da misericórdia divina, lançai um olhar compassivo sobre as Congregações nascidas de vossa Aparição f encarregadas de "comunicar a todo o vosso povo" o apelo à reconciliação.
Por vossa poderosa intercessão, obtende-nos de vosso Filho, numerosas vocações sensíveis às angústias do mundo e disponíveis para servir ao seu desígnio de paz e reconciliação universal. 
Amém! 
Nossa Senhora da Sallete, 
Reconciliadora dos pecadores!
Rogai, sem cessar por nós
que recorremos a vós!

http://vocacionadosdedeusemaria.blogspot.com.br/2008/02/rosrio-de-nossa-senhora-da-salette.html